Pela Promoção dos Direitos das Juventudes

Rede Ecumênica da Juventude (REJU)

Notícias

A REJU tem novas facilitadoras na Bahia e no Espírito Santo!

20-05-2013

A REJU tem novas facilitadoras: Laina Crisóstomo na REJU-BA e Mariana Zuccarello na REJU-ES. Agradecemos ao grande trabalho realizado por Beto Rocha (BA) e Jaiane Loureiro (ES) neste período.

Conheça um pouco mais das novas integrantes da rede.

Laina Crisóstomo

Foto

Meu nome é Laina Crisóstomo, tenho 26 anos, sou evangélica da Igreja Batista Nazareth, militante dos movimentos negro e de mulheres e advogada. Milito no combate a discriminação racial, violência contra a mulher e intolerância religiosa. Faço parte da Rede Iberoamericana de Liberdades Laicas e da Rede Latinoamericana e Caribenha pelos Direitos Sexuais e Reprodutivos da juventude (REDLAC). Realizo desde os tempos da faculdade mutirões jurídicos a fim de combater a intolerância religiosa e a violação dos direitos humanos nos espaços religiosos. Atuo especialmente no combate a violência doméstica e o machismo nas Instituições Religiosas Evangélicas. 

Mariana Zuccarello 

217556_412176308864154_2113604878_n

Mariana Falcão Zuccarello é uma pessoa acostumada a novidades e desafios. Com esse espírito assumiu a tarefa de ser facilitadora da REJU/ES.

Nascida em Campo Grande (MS), desde criança Mariana aprendeu a trabalhar em conjunto, contribuindo nas atividades da igreja. Viveu a infância em Londrina (PR), quando o pai fez teologia para ser pastor da Igreja Presbiteriana Independente. Vieram para São Mateus (ES), onde desenvolveram projeto social de apoio a crianças empobrecidas e de onde Mariana aos 15 anos saiu delegada para a V Conferência Nacional da Criança e Adolescente. Desde então, a militância em favor da vida e dos oprimidos ganhou cada vez mais importância em sua vida.

Foi para Três Lagoas (MS) fazer direito, pegando mobilidade para UFES por 1 ano, período em que participou de projeto de assessoria jurídica a comunidades quilombolas capixabas. Retornando a Mato Grosso do Sul, desta vez em Campo Grande, participa do Coletivo Terra Vermelha, que atua em defesa de povos indígenas.

Em mais uma mudança, retorna ao ES, estabelecendo-se na Igreja Presbiteriana Unida. É integrante da Pastoral de Juventude do CLAI.

A atuação na REJU tem como objetivo criar uma referência que organize a juventude ecumênica na defesa dos direitos de toda juventude. Para isso, é fundamental dar visibilidade à proposta da organização e reunir a galera engajada que acredita que um outro mundo é possível.

A REJU tem novas facilitadoras na Bahia e no Espírito Santo!