Pela Promoção dos Direitos das Juventudes

Rede Ecumênica da Juventude (REJU)

Notícias

Carta de Brasília

10-12-2011

A juventude ecumênica - organizada pela Rede Ecumênica da Juventude (REJU), com o apoio da Pastoral de Juventude do Conselho Latino-americano de Igrejas (CLAI) e da Coordenadoria Ecumênica de Serviço (CESE) – realizou em Brasília (DF), entre os dias 6-8 de dezembro de 2011, a Conferência da Juventude Ecumênica: Promover direitos, fortalecer conquistas. Um encontro que articulou mobilizações juvenis das cinco regiões do país com o intuito de sinalizar as violações de direitos juvenis em nossos contextos, de refletir sobre os direitos e as políticas públicas de juventude no Brasil e de incidir politicamente na 2ª Conferência Nacional de Juventude, que será realizada entre os dias 9-12 de dezembro. 

Como juventude ecumênica, reconhecemos a relevância política de todo o processo das Conferências de juventude realizadas neste ano (livres, territoriais, municipais, estaduais e nacional), em sua busca por ampliar os meios de participação e de inserção das distintas juventudes na construção de políticas governamentais e por articular os direitos juvenis a partir das distintas dimensões da vida, em integralidade. Reconhecemos, também, os avanços realizados durante o ano de 2011 em efetivação de marcos legais para as políticas de juventude no Brasil, como a aprovação da PEC da Juventude e da aprovação do Estatuto da Juventude na Câmara dos Deputados. 

Entretanto, a realidade nos provoca a continuar com olhares críticos e orientados pelos ventos de transformação e resistência. Por isso, reconhecemos que muitas juventudes são cada vez mais levadas a uma profissionalização antecipada, demonstrada em algumas políticas governamentais; evidenciamos que em determinados processos de construção de políticas públicas há uma burocratização de direitos e uma negação das especificidades e singularidades das juventudes; e apontamos a falta de efetivação de políticas propostas em acordos e documentos governamentais. 

Com esta realidade, a Conferência da Juventude Ecumênica, sintetizando um processo de seis meses de trabalho em conferências livres em distintos territórios do Brasil, apresenta os seguintes desafios em políticas públicas de juventude e as suas propostas de execução. 

Para acessar/baixar a íntegra da carta  clique aqui.