Pela Promoção dos Direitos das Juventudes

Rede Ecumênica da Juventude (REJU)

Notícias

Coalizão Ecumênica no Rio +20: Religiões por direitos

Vinte anos depois da Eco-92, acontece no Rio de Janeiro a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável. Conhecido como Rio+20, o evento reunirá representantes governamentais de todo o mundo e, oficialmente, tem os seguintes objetivos: assegurar um comprometimento político renovado para o desenvolvimento sustentável, avaliar o progresso feito até o momento e as lacunas que ainda existem na implementação dos resultados dos principais encontros sobre desenvolvimento sustentável, além de abordar os novos desafios emergentes.


Sabe-se que, infelizmente, na maioria dos casos, os governantes estão a serviço do capital internacional. Por essa razão, o tema da "economia verde" como forma de erradicação da pobreza deve receber grande atenção na Conferência. Não se espera do evento oficial que se assumam compromissos mais sérios em relação à crise ambiental e à superação da desigualdade social. Por essa razão a sociedade civil organiza sua própria conferência.

A Cúpula dos povos

Enquanto as representações governamentais estiverem reunidas, a sociedade civil também se encontrará, buscando colocar suas propostas e exercer pressão sobre as elites dirigentes. É a Cúpula dos Povos, que espera reunir 50.000 pessoas.

Após uma grande marcha de abertura, diversas atividades serão realizadas, no intuito de desmascarar as falsas promessas da "economia verde" defendida pelas grandes empresas. O tema aglutinador será "Na Rio+20 por Justiça Social e Ambiental".

Religiões por direito

Conscientes de seu papel na influência sobre o comportamento da humanidade em relação ao meio ambiente, as diversas religiões se organizam para exigir de si mesmas, dos governantes e empresas compromisso com o planeta. Espiritualidade e Ética são serão a tônica das atividades, que acontecerão no espaço já "batizado" como Religiões por Direito. Como temáticas centrais: Justiça Climática e socioambiental; Juventudes e justiça socioambiental e segurança e soberania alimentar.

A REJU se organiza para a incidência nestes espaços com as seguintes frentes de atuação:

   I) Articulações preparatórias nas regionais: encontros sobre justiça socioambiental;

   II) Incidência na Cúpula dos Povos: acampamento das juventudes e participação na tenda da juventude na Coalizão Ecumênica;

  III) Participações no Enlace das organizações de juventudes;

  IV) Produção de materiais: folder, banner, vídeos e a organização de um livro sobre a temática da juventude e justiça socioambiental;

  V) Organização de uma articulação Internacional de juventude (América Latina, Ásia, África e Europa), via Conselho Mundial de Igrejas, CLAI, FUMEC, CREAS, entre outras instituições;

Adaptado do site do CEBI: http://www.cebi.org.br/noticia.php?secaoId=1&noticiaId=2829

Rio +20