Pela Promoção dos Direitos das Juventudes

Rede Ecumênica da Juventude (REJU)

Notícias

Encontro Cades e Reju Sul

14-04-2015

No último dia 12 de abril, realizou-se no espaço Diversidade das Faculdades EST, um almoço formativo proposto pela REJU e CADES, a fim de vivenciar momento de espiritualidade e formação a respeito da atual conjuntura política. Estiveram presentes colaborando no debate Fernanda Melchionna, (vereadora de Porto Alegre pelo PSol); Cheron Moretti (Marcha Mundial da Mulheres), e Edoarda S. Scherer (REJU), além de cerca de 27 jovens participantes. Trazendo presente a memória de mártires que doaram suas vidas à luta pela justiça, iniciou-se o encontro com um momento de espiritualidade, partilhando as palavras de Dietrich Bonhoeffer, mártire do regime nazista, e Ivone Gebara, teóloga brasileira que nos provoca na reflexão de outras formas de vivência do sagrado e das práticas religiosas.

O momento inicial com as falas das convidadas trouxeram presente uma visão da conjuntura política atual do Brasil que se insere numa análise ampla do momento de crise estrutural  internacional. Pensar a política no momento em que vivemos, é um grande desafio, que deve ser aliado a uma profunda análise econômica do atual estado em que se encontra o capitalismo e suas forças que se colocam no cenário mundial e nacional. No Brasil os casos de corrupção que se estouram colocam na pauta a apropriação do dinheiro público não apenas por partidos políticos, e causam certa indignação da população, embora não canalizada para uma mudança estrutural e sim apropriada pela grande mídia que a coloca como sustentáculo para as forças de direita. Ressalta-se também a atual formação de um quadro extremamente conservador na Câmara e no Senado, o que dificulta a consolidação e causa retrocesso nos direitos dos/as trabalhadores/as, das mulheres, da juventude, como o caso da tramitação da Redução da Maioridade Penal, que acentua a criminalização dos adolescentes e jovens das grandes periferias; e da PL 4330 (das terceirizações) que se apresenta como um dos maiores retrocessos da história brasileira, precarizando o trabalho de milhares de homens e mulheres. Frente uma bancada ruralista, fundamentalista, homofóbica, faz-se necessário aprofundar a luta em defesa da vida das mulheres, e dos/as LGBTs, combatendo os fundamentalismos e reforçando a necessidade de um estado laico, respeitando as diversidades e criminalizando a violência sofrida por estas populações. Faz-se necessário no atual momento afirmar uma plataforma de uma ampla reforma estrutural política, tributária, agrária, que garanta a taxação das grandes fortunas, além da regulamentação dos meios de comunicação para que haja uma verdadeira democratização da informação e desestruturação dos grandes monopólios da mídia.

As provocações feitas pelas convidadas nos fazem reafirmar que diante deste cenário nos colocamos como juventude ecumênica engajada na defesa da vida das jovens e dos jovens, a partir de uma fé que nos coloca como construtores de um mundo mais justo e igualitário, contra todos os tipos de fundamentalismos, contra a redução da maioridade penal e a criminalização e extermínio da juventude. Ressaltamos a importância de momentos formativos para que possamos de fato consolidar uma participação mais efetiva nas esferas em que atuamos, seja nas igrejas, comunidades, universidade, nos apropriando dos espaços de debates públicos e da sociedade civil organizada, sem medo de denunciar as realidades de morte e anunciar um outro mundo possível.

           

Texto: Tanise Medeiros – REJU Sul

ecumenismo diálogo Rio Grande do Sul