Pela Promoção dos Direitos das Juventudes

Rede Ecumênica da Juventude (REJU)

Notícias

"Morte" aos machos que estupraram mais uma mulher: os trinta e todos os demais.

Trinta homens se revezando para violentar um jovem de 17 anos. Entre um gozo e outro eles exibem a jovem como um caçador ostenta a presa abatida. 

Essa cena (e todas as milhares semelhantes a ela) só é possivel para machos. Machos são homens pela metade (ou menos que isso) que se imaginam inteiros. 

Esse arremedo de homem que é o macho se constrói com poucos e mal acabados elementos, cito dois: a virilidade e a violência. 

Violentos, os machos fazem o que querem que tudo aquilo que querem. Não há um TU diante deles, mas um isso, um objeto para utilizar. 

Viriz, os machos precisam ostentar suas performances para convencer a todos de sua força e superioridade. 

Machos são arremedos de homens, um projeto que ficou pelo meio de caminho. E ainda há quem queira sustentar uma sociedade construída por uma noção de masculinidade como essa.

É preciso que o macho morra para um novo homem nascer.

Texto do professor, pastor e teólogo Alessandro Rocha

violência estupro mulher