Pela Promoção dos Direitos das Juventudes

Rede Ecumênica da Juventude (REJU)

Notícias

Nota da Sociedade Civil do CONJUVE sobre a indicação do Secretário Nacional de Juventude

A sociedade civil do Conselho Nacional de Juventude já se posicionou pelo não reconhecimento do governo interino do vice-presidente Michel Temer. Para nós, o processo de impedimento da presidenta Dilma Rousseff é um golpe de Estado. Também já denunciamos a extinção do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial, da Juventude e dos Direitos Humanos, além de várias ações que desorganizam o Estado, cortam políticas e direitos e constroem um governo ilegítimo e sem participação social.

Agora repudiamos a indicação de Bruno Julio para a Secretaria Nacional de Juventude. Como amplamente divulgado, o novo secretário tem sobre si acusações gravíssimas de assédio sexual, de ameaças e agressão física a mulheres, incluindo a utilização de arma branca.

Consideramos que a nomeação de uma pessoa com tal histórico afronta os direitos conquistados nos últimos anos pelas mulheres e pela juventude. Num momento em que a sociedade brasileira está amplamente envolvida no debate sobre a cultura do estupro e o fim do machismo presente em nosso país, a indicação de Bruno Júlio, defendida pelo ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo), é uma naturalização da violência contra as mulheres!

Não concordamos e não permitiremos que uma pessoa com essa trajetória e com um projeto de políticas públicas organizado para a redução de direitos ocupe um espaço tão importante para a juventude.

Em defesa da democracia, pelo fim da violência contra as mulheres, machistas, golpistas não governarão!

#ForaTemer
#ForaBrunoJulio

Fotos: Mídia Ninja

conjuve Secretaria Nacional de Juventude repúdio Bruno Júlio agressão arma branca