Pela Promoção dos Direitos das Juventudes

Rede Ecumênica da Juventude (REJU)

Notícias

Opinião - Protagonismo e liberdade: escolhas

16-08-2012

É motivo de orgulho dizer que o Brasil é um país democrático e que a todos é atribuído o pleno exercício da cidadania.  Em épocas de eleições, é comum relacionar a cidadania ao voto, ou, a prática de cordialidade e respeito com o próximo, neste curto período do ano.

No entanto, será realmente só isso, ou, desta forma, limita-se, o termo cidadania?

Afinal, qual a melhor forma de se usufruir da liberdade?

Poder ir e vir, manifestar suas ideias e reunir-se em mobilizações. Pensar e agir sobre onde e quando, o que se quer e no que se acredita. Infelizmente, não foi assim nos anos de chumbo.

Conquistas históricas de altruísmo ainda são anônimas, no sentido de impedir o reconhecimento destas à maioria da população. Grande parcela da sociedade não tem cognição da possibilidade de ação que cada um possui para mudar a realidade ao seu redor e, assim, sucessivamente, ao todo.

Por ironia, há de se poder muito, porém, pouco se faz. O individualismo, o comodismo, pode servir como justificativa, mas ainda não modifica o problema.

Soluções. O pensar na possibilidade de suas existências já é um primeiro passo, uma esperança. O segundo, basta à coerência do agir. E, quando percebemos, já não cabe somente o eu, mas, sim, a um conjunto de causas, pessoas, e a um real sentido para a vida.

A história ocorre diariamente, e, diante deste fato, a todos é conferido o livre direito de agir: assistir o que se passa e sofrer com as consequências, omitir-se e não resistir, ou, ser protagonista, tomar o posicionamento nas ações. E, é, neste aspecto, que se encontra a liberdade. A liberdade encontra-se resoluta nas escolhas.

O exercício da cidadania vai muito além de um momento, da passividade e omissão concebidas como inconsequentes, uma vez que, tratando-se de Direitos, indisponíveis, modificam-se vidas e determinam-se destinos.

Felizmente, conheço inúmeras pessoas que tornaram-se protagonistas das suas vidas e dos seus destinos, e já buscam um mundo melhor e possível, com decisões e ações. Some-se, sejamos REJU!

Edoarda Sopelsa Scherer. É facilitadora da REJU RS. Acadêmica de Direito da Univates (Centro Universitário do Vale do Taquari), integrante do CREDEIR, CNBB Sul III (Comissão Regional de Ecumenismo e Diálogo Interreligioso do Regional Sul 3 – ICAR), articula a PASUNE (Pastoral Universitária Ecumênica) e a FUMEC-ALC/MEC-Brasil (Fundação Universal dos Estudantes Cristãos – América Latina e Caribe – Brasil).

Liberdade direitos Cidadania Protagonismo sociedade