Pela Promoção dos Direitos das Juventudes

Rede Ecumênica da Juventude (REJU)

Notícias

Participação da reju no encontro reforçando a contribuição da juventude para o diálogo e a cooperaçã

O Encontro teve início na tarde do dia 24 de maio, no Palácio Itamaraty, que no primeiro momento, Rosa Guerreiro, coordenadora, deu as boas vindas a todas, fazendo um comentário do espaço nobre que é o Palácio Itamaraty, considerado um lugar sagrado. Logo após foram apresentados(as) os 25, incluindo a representante da REJU e coordenação da UNESCO.

Sessão I – A UNESCO e Religiões pela Paz atuando com e para os jovens, (Rosa Guerreiro e Elias Szczytnichi).         O Programa de Diálogo Inter-religioso da UNESCO, é uma componente essencial do diálogo inter-cultural e tem por objetivo promover o diálogo entre as diferentes tradições religiosas, espirituais e humanistas, num mundo onde os conflitos estão  cada vez mais associados à identidade religiosa.  Neste encontro de identidades, homens e mulheres de fé, assumem suas próprias espiritualidades no contexto específico de cada região, que se traduz em formas de fé e culturas particulares que se formaram como resultado do encontro com estas terras latino-americanas.

Um exemplo destes vínculos é a Rede de Juventude da América Latina e Caribe de Religiões pela Paz, que foi fundada em 2005, como um ramo regional da Rede de Juventude Global de Religiões pela Paz, tem  com o objetivo promover a cooperação multireligiosa da juventude para a paz.  Com este propósito, a Rede de Juventude de Religiões pela Paz busca avançar no seu trabalho de mobilizar a força da juventude religiosa, construindo alianças estratégicas com os organismos das Nações Unidas, com as instituições intergovernamentais e com as organizações da sociedade civil, implementando programas de ação através das redes de juventude regionais e nacionais.

Em seguida duas apresentações de dissertações: Soher El Sukaria, falou sobre a cooperação inter-religiosa pela paz, na qual coordena a Rede de Jovens da América Latina e Caribe de Religiões pela paz e Julio Carranza do Conselho Regional de Ciências Sociais e Humanas para a América Latina e Caribe da UNESCO, falou sobre o papel dos jovens no desenvolvimento e na prevenção da violência.

Sessão  II - O que podemos aportar na construção da paz na América Latina?

Este questionamento foi discutindo em dois grupos e posteriomente apresentado em plenária. Cada participante respondeu um questionário da Pesquisa Internacional, sobre a contribuição da educação  e do ensino, ao Diálogo Intercultural e Interreligioso. O objetivo do questionário é reconhecer as atividades que os jovens realizam no âmbito do dialogo Intercultural e Interreligioso.

Ja na terça feira dia 25 de maio, tivemos as seguinte sessões:

Sessão III: A Incidencia publica jovem interreligiosa na América Latina. Nesta ênfase foi apresentada a Campanha da Rede Global de Jovens de Religioões pela paz, pela Segurança Compartilhada, pelo Jovem Flávio Conrado, Consultor da Rede de Jovens da América Latina e  Caribe de Religiões pela paz. Arms Down    www.religionsforpeace.org. Esta campanha global multireligiosa da juventude, de um ano, enfocará a segurança compartilhada para:Abolir as armas nucleares;Deter a proliferação e o abuso das armas convencionais;Reduzir os gastos militares em 10% para tornar possível a realização dos  Objetivos de Desenvolvimento do Milênio das Nações Unidas (ODMs) no ano 2015. Lembrando que a Campanha finaliza dia 04 de Outubro de 2010.

Os gastos militares alcançaram um nível sem precedentes em 2008, chegando a 1 trilhão 464 bilhões de dólares americanos. Apenas 10% do orçamento militar global seria suficiente para alcançar completamente os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio das Nações Unidas (ODM).

Religiões pela paz convida você a se unir, durante todo o ano, aos líderes das religiões mundiais tradicionais em nossa campanha mundial por uma segurança compartilhada. Nossa meta é conseguir 50.000.000 (cinquenta milhões) de assinaturas. Depois da campanha, as assinaturas serão enviadas ao Secretário Geral das Nações Unidas, aos membros permanentes do Conselho de Segurança, assim como aos parlamentares do seu país.

Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs), são o compromisso mundial sobre objetivos específicos e têm como data limite o ano de 2015. Estão direcionados a combater a pobreza extrema em todas as suas dimensões - renda, fome, enfermidade, falta de moradia adequada e exclusão -, ao mesmo tempo promovem a igualdade de gênero, educação e sustentabilidade ambiental. Também os direitos humanos básicos - direitos individuais na saúde, educação, moradia e segurança -  (http://www.un.org/millenniumgoals/). Para isso, as religiões e espiritualidades da região se articulam para contribuir com a construção de nações pluralistas fundadas na democracia, nos direitos humanos, na multiculturalidade, no desenvolvimento sustentável e na prevenção contra a violência armada.

Sessão IV: os jovens no diálogo interreligioso na América Latina.

Neste âmbito foram apresentadas as seguintes questões à Reunião de Melbourne: Quais recomendações se podem replicar na America Latina? Dialogada por Rosa Guerreiro, David Gonzales e Rafael  Tyszblat. Como parte da Estratégia Global 2010–2011 do Setor de Cultura da UNESCO, o Programa de Diálogo Inter-religioso, além de prestar atenção especial às atividades dirigidas a lutar contra os estereótipos, se concentra neste biênio, na multiplicidade de partes interessadas nas iniciativas relacionadas ao diálogo inter-religioso assim, como à criação de novos espaços de diálogo, em particular para os jovens e as mulheres, com o objetivo de melhorar as aptidões para tratar das questões religiosas.

O Programa de Diálogo Inter-religioso da UNESCO desenvolve o projeto “Participação de novas vozes no diálogo sobre questões religiosas” que permite efetivamente que novas vozes sejam ouvidas, principalmente a dos jovens, que em muitos casos não foram suficientemente representadas nas atividades inter-religiosas.  Com este objetivo, também organizou um evento paralelo no Parlamento das Religiões do Mundo, em Melbourne, no ano passado, que reuniu jovens pertencentes a diferentes comunidades de fé, que aportaram recomendações para alimentar a execução das atividades de diálogo inter-religioso da UNESCO durante este biênio.

O ano de 2010 é crucial para a participação dos jovens das comunidades de fé no âmbito internacional já que a Assembléia Geral das Nações Unidas o proclamou Ano Internacional da Juventude, e também Ano Internacional para a Aproximação das Culturas.  Levando em conta estes dois temas, este ano é muito pertinente para o trabalho da UNESCO com a juventude religiosa, já que enfoca a organização dos jovens como agentes de mudança para a cultura de paz.

Do mesmo modo, a juventude foi identificada como uma das principais prioridades para o trabalho da UNAOC, que está ativamente tratando de envolver os jovens diretamente em seu trabalho por meio da colaboração com amplas redes de organizações de juventude.  A contribuição da juventude para compreender o impacto da diversidade cultural e religiosa na vida cotidiana, assim como na política, é agora mais crucial do que nunca.  Na medida em que constituem o maior segmento da população em muitas regiões, os jovens desempenham um papel vital na construção de respostas nacionais à diversidade cultural e religiosa.

Sessão V: A formação para o diálogo interreligioso na América Latina.
Nesta sessão foi a presentada a pesquisa Internacional da UNESCO sobre a Educação e o ensino do diálogo intercultural e interreligioso, sistematizada do dia anterior, por Rosa Guerreiro, David Gonzales e Rafael Tyszblat. Tivemos a Presença  do Ministerio das Relações Exteriores, o Secretário Luís Fernando Carvalho, que dialogou conosco.

Sessão VI: Como podemos Construir uma  Rede interreligiosa de jovens no Brasil?.

Nós jovens do Brasil, nos reunimos e decidimos que levaremos para nossas organizações a proposta e no dia 02 de Agosto de 2010, teremos uma reunião via  skipe, para socializarmos as respostas das organizações. Posteriormente as organizações que aceitarem,  farão  parte da Rede Global  de Jovens de Religiões pela Paz. Decidimos que Ali Mazoud  de São  Paulo e Persio ficarão responsaveis pela intermediação.

Quarta-feira dia 26 de maio

Sessão VII: Recomendações para o  Fórum de Juventude do III Fórum da Aliança de Civilizações.

Construimos algumas recomendações para o III Fórum da Aliança de Civilizações e elegemos quatro prioridades.

Sessão VIII: A UNESCO e Religiões pela paz trabalhando na formação dos Líderes religiosos de amanhã.  

Participamos de uma pré- abertura para o III  Fórum da Aliança de Civilizações e finalizamos na Caminhada da Juventude da Aliança de Civilizações:  Explorando a Diversidade Cultural do Rio de Janeiro no Centro Comercial Popular SAARA.

Estavam presentes os seguintes Jovens: no Encontro Reforçando a Contribuição da Juventude para o Diálogo e a Cooperação Inter-religiosas na América Latina, no Marco do III Fórum da Aliança de Civilizações Rio de Janeiro, Brasil, 24 a 26 de maio de 2010.
             
Carolina Varela, Equipe da Pastoral de Juventude do Conselho Episcopal Latino-americano (CELAM) (Uruguai); Hildete Emanuele, Pastoral de Juventude da Conferência Nacional de Bispos do Brasil (CNBB);  Maria Guerra , Rede Ecumênica da juventude do Brasil ( REJU) ; Gustavo Ali, Juventude Metodista da América Latina e Caribe (CIEMAL) (Bolívia); Persio Bider, Juventude Judaica Organizada do Brasil (JJO); Soher El Sukaria, Juventude da Organização Islâmica para a América Latina e Caribe (OIPAL) (Argentina); Gustavo Quintero, Federação Universal de Movimentos Estudantis Cristãos (FUMEC) (Colômbia); Ali Mazoud, União de Estudantes Muçulmanos do Brasil (UEMB); Vitor Gomes , Jovens por um Mundo Unido( Movimento dos Focolares do Brasil);  Chiara Gomes, Jovens por um Mundo Unido( Movimento dos Focolares do Brasil); Rev. Sherman  Herrera, Regional Latino-americana da Comissão de Juventude da Aliança Evangélica Mundial  (WEA) (Costa Rica); Patrick Timmem, Aliança Biblica Universitaria  do Brasil( ABUB); Rev. Patricia Bauer, Conselho Nacional das Igrejas Cristãs do Brasil( CONIC); Vahíd Vahdat, Assembleia Espiritual Nacional dos Bahá’ís do Brasil; Luciano Pádua UNIC; Clarisse  Montahão UNIC; Javier Abi- Saab, UNIC; Jonas Shalom, Congresso Judio/ Religiões pela Paz; tendo como Expositores e Membros das Equipes: Elías Szczytnicki, Secretário   Geral e  Diretor Regional de Religiões pela Paz da América Latina e Caribe; Katerina Ragoussi, Religiões pela Paz; Flávio Conrado, Rede de Jovens da América Latina e Caribe de  Religiões pela Paz; Rosa Guerreiro, Especialista do Programa de Diálogo Interreligioso da Divisão de Politicas  Culturais e Diálogo Intercultural da Organização das nações Unidas, para a Educação, a  Ciência e a Cultura ( UNESCO) Religiões pela Paz;  Julio Carranza,Conselho Regional de Ciências Sociais e Humanas para a América  Latina e Caribe da  UNESCO; David González de Oliveira, Perito Associado da Divisão de Politicas Culturais e Diálogo Intercultural da UNESCO;  Raphael Tyszblat,  Consultor  Associado, Instrutor  e Mediador  do EuroMediação.
América Latina