Pela Promoção dos Direitos das Juventudes

Rede Ecumênica da Juventude (REJU)

Notícias

REJU Goiás realiza ações pela Visibilidade Trans

25-01-2015
Em uma rede de parcerias a Rede Ecumênica da Juventude de Goiás, participa da 1ª Semana da Visibilidade Trans, idealizada pela Assessoria Municipal de Diversidade Sexual da Prefeitura de Goiânia, em parceria com o Movimento Social LGBT. As atividades visam denunciar a invisibilidade de pessoas Trans e pautar os direitos de Travestis e Transexuais. Serão realizados: Cine Debate, Sarau, Ato Público, Roda de Conversa e Solenidades com o Poder Público, dos dias 26 a 30 de janeiro de 2015, em diversos pontos da cidade. A semana marca as comemorações do “Dia 29 de janeiro: Dia da Visibilidade Trans”.

Tendo como eixo de atuação para os próximos biênio  (2015-2016), o debate sobre as “Sexualidades e as Lutas Feministas”, tendo como linhas de ação a “visibilidade das lutas e demandas das mulheres Trans” e o “enfrentamento a homo-lesbo-transfobia”, a REJU assume ações como esta no sentido de cumprir sua missão de ser uma rede comprometida com os direitos das juventudes e a garantia de um Estado Laico de fato.

O Dia da Visibilidade Trans é celebrado desde 2004. A data foi instituída pelo movimento de Travestis durante o lançamento da primeira campanha contra a transfobia no país, promovida pelo Ministério da Saúde para mostrar a relevância da diversidade sexual e respeito às pessoas Trans (travestis e transexuais).

Confira a Programação:
Lançamento da Nota Pública pelo Dia Nacional da Visibilidade Trans
Data: 26/01/2015
Cine Debate: Meu Amigo Cláudia
Local: Calçada do Grande Hotel (Avenida Goiás)
Data: 27/01/2015
Horário: 19h
Sarau da Visibilidade e Blitz da Cidadania
Local: Calçada do Colégio Liceu de Goiânia
Data 28/01/2015
Horário: 19h
Assinatura do Decreto do Nome Social pelo Prefeito Paulo Garcia
Local: Prefeitura Municipal de Goiânia
Data: 29/01/2015
Horário: 9h
Chá das Princesas com a Comissão de Direitos Humanos da Câmara.
Data: 29/01/2015
Horário: 15h
Ato Público pelo Dia da Visibilidade Trans
Local: Praça Bandeirante
Data: 29/01/2015
Horário: 18h
Roda de Conversa: Os Desafios para superação da Transfobia.
Local: Assessoria Municipal de Diversidade Sexual
Data: 30/01/2015
Horário: 14h

Confira a Nota Pública pelo Dia Nacional da Visibilidade Trans.


Celebrar a visibilidade, denunciar a invisibilidade e pautar os direitos de Travestis e Transexuais e de todas as pessoas que transitam entre os gêneros ou além dos gêneros é o convite que fazemos para o Dia 29 de janeiro, Dia da Visibilidade Trans. Este dia surgiu de uma campanha do movimento de travestis e do Ministério da Saúde, intitulada “Travesti e Respeito” e desde 2004 tem tomado as ruas e convocado a militância LGBT, os Movimentos Sociais e o Estado a pautar e refletir sobre a questão Trans.

Quando falamos em Transexualidades ou Travestilidades, estamos falando de uma identidade de gênero, ou seja, da vivência interna e individual do gênero tal como a pessoa sente, que neste caso, difere daquele atribuído ao nascimento. O exercício desta identidade pode envolver modificações farmacológicas ou cirúrgicas e/ou relativas às expressões de gênero, seja pelas vestimentas, falas ou comportamentos, conforme livre determinação de cada sujeito.

Pautar o Dia 29 de Janeiro é reconhecer a necessidade de visibilizar cotidianamente a luta das pessoas Trans, pelo respeito e o acesso aos seus direitos. Neste sentido queremos denunciar a invisibilidade que cotidianamente estão sujeitas as pessoas transexuais e travestis e reivindicar politicas públicas que pautem a emancipação e garantam os direitos destas cidadãs e destes cidadãos. Por isso denunciamos a transfobia institucional que subalterniza pessoa trans cotidianamente quando não reconhece o uso do nome social, do acesso aos banheiros conforme seu gênero e exclui travestis e transexuais dos espaços de poder e decisão, do acesso a educação e o mercado de trabalho; Denunciamos ainda, a hipersexualização dos corpos de mulheres transexuais e travestis, relegadas ao mercado do sexo e a exploração sexual; Denunciamos o extermínio de travestis e transexuais, os altos índices de violência que esta população esta sujeita e as alarmantes taxas de assassinato que colocam o Brasil no ranking de países mais perigosos para ser Trans.

Por ultimo, gostaríamos de falar sobre o Projeto Transexualizador (TX) do Hospital das Clinicas (HC) da Universidade Federal de Goiás (UFG), que em quase 15 anos, já operou 65 transexuais, pelo serviço público de Saúde. Implantado em 1999, o projeto é referencia nacional na realização da cirurgia de redesignação sexual. Atualmente o projeto TX encontra-se em uma situação delicada com um fila de espera de 67 pessoas já cadastradas que aguardam pela cirurgia. Em 2014 a previsão era de atender 11 novas cirurgias e gradativamente o número de serviços prestados vem diminuindo. A adesão ao EBSERH, uma empresa pública de interesse privado, coloca em dúvidas o futuro do projeto e o atendimento as estas pessoas.

Neste sentido, acreditamos que celebrar o dia da Visibilidade Trans é reivindicar:
v Aprovação do Projeto de Lei 5002/2013, a Lei João Nery que dispõe sobre o direito à identidade de gênero e altera o artigo 58 da Lei 6.015 de 1973;
v Ampliação do direito ao uso do nome social e da auto declaração de gênero/sexo, em todos os espaços sociais;
v Garantia do acesso à educação pública de qualidade e a formação profissional, em todas as áreas do ensino e da qualificação, conforme livre escolhas dos/as transexuais e travestis;
v Politicas Públicas de acesso à geração de trabalho e renda;
v Politicas de Segurança Pública que garantam as pessoas Trans, uma vida segura, sem violência e discriminações de todas as ordens;
v Politicas de atenção à saúde, com destaque a processo transexualizador;
v Campanhas que visibilizem as Travestis e as/os Transexuais de forma positiva e como sujeitos de direito.

Convocamos todas as pessoas que lutam e acreditam em um mundo mais justo e livre de discriminações, a se juntarem na promoção e defesa dos direitos humanos de pessoas travestis e transexuais.

Por uma Goiânia, sem Transfobia! Por um País, sem discriminações!

Assinam a nota:

Grupo DiverCidade; Conselho Social Consultivo de Diversidade Sexual de Goiânia; REJU - Rede Ecumênica de Juventude; Coletivo Fluidez; OS Cia da Diversidade; ORIGEM; Igreja Conquista Plena; Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal; ARTGAY; ONG Atitude; Eles por Eles; Igreja I.R.I.S; Centro de Referencia em Direitos Humanos; Assessoria Municipal de Diversidade Sexual de Goiânia.

Visibilidade Trans Movimento Social LGBT