Pela Promoção dos Direitos das Juventudes

Rede Ecumênica da Juventude (REJU)

Notícias

REJU-SP recebe visita da Igreja Luterana da Baviera

12-09-2013

Portal Luteranos

O quinto dia da Consulta promovida pela Igreja na Baviera (Evangelisch-Lutherische Kirche in Bayern - ELKB) junto às Igrejas parceiras, 10 de setembro, sob o tema ‘How churches contribute to society to overcome violence’, em Itapecerica da Serra, São Paulo, de 6 a 12 de setembro, tendo a IECLB (Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil) como anfitriã, foi de visita a projetos diaconais na capital paulista.

Os participantes da Consulta foram organizados em três grupos para visita aos seguintes projetos:

Grupo 1

- Programa Comunitário da Reconciliação

Localizada a cerca de 30 quilômetros do centro de São Paulo, é uma instituição ecumênica, sem fins lucrativos, fundada em 1986 pela Igreja Luterana junto com um grupo de mulheres da Comunidade, que busca ajudar a população carente. Tendo a sua base nos valores cristãos de justiça, respeito e tolerância, a Reconciliação quer proporcionar às pessoas atendidas esperança, dignidade e a base para um futuro melhor.

No Programa, são realizados atendimentos em três núcleos: - Cantinho da Criança (atende 120 crianças de 2 a 3 anos, de segunda a sexta-feira, em período integral para garantir o desenvolvimento integral e o direito à infância plena); - Sede - Centro para a Criança e o Adolescente (em complemento ao ensino escolar, oferece, além de cursos intensivos e oficinas, capacitações, fóruns e seminários com temas sobre ações cidadãs, violência entre outros, em dois períodos, para 375 crianças e jovens a partir dos 6 anos de idade); - Cantinho da Comunidade (espaço no qual jovens e pessoas adultas encontram ouvidos atentos aos seus problemas. O Cantinho oferece oficinas e aulas para formação profissional, além de rodas de conversas, atendimento psicológico, assistência espiritual, terapêutica e orientação jurídica).

- Jardim Ângela e Casa Sofia

Trata-se de um trabalho realizado pela Sociedade Santos Mártires, associação civil sem fins lucrativos, fundada em 1988, que tem como principal objetivo a promoção da dignidade humana.

Fazem parte das ações da associação: - Centro de Defesa da Criança e do Adolescente - CEDECA Jardim Ângela; - Casa Sofia, que atende mulheres vítimas de violência; - Cuida, que atende familiares de dependentes químicos; - Cursos de alfabetização para pessoas adultas, creches e espaços gente jovem.

O Jardim Ângela já foi considerado a região mais violenta do mundo. Para mudar essa realidade, foi criado, em 1996, o ‘Fórum de Defesa da Vida’, em que, uma vez por mês, se reúnem, juntamente com pessoas da comunidade local, representantes do poder público, de universidades e do judiciário para discutir e planejar ações que visem à superação da violência.

A Casa Sofia é um espaço para mulheres vítimas de violência doméstica serem ouvidas. Para que as elas consigam superar o ciclo da violência em que se encontram, são oferecidos apoio psicossocial individualizado, encaminhamentos para Casas Abrigo, orientação jurídica, cursos sobre direito das mulheres, além de capacitação de agentes comunitários.

Grupo 2

- Centro Comunitário Casa Mateus - Mauá

É uma organização diaconal, sem fins lucrativos, fundada em 1980, por iniciativa de membros da Paróquia do ABCD, São Paulo. O Centro Comunitário está localizado em um bairro no qual residem pessoas de baixa renda e que ocupam áreas irregulares.

A Casa Mateus atua por meio de atendimento socioeducativo de crianças e adolescentes de 7 a 18 anos, acompanhamento familiar e realização de oficinas de profissionalização na área da informática para jovens de 18 a 24 anos. Também realiza projetos ligados à arte e a cultura, que permitem às crianças e aos jovens externar os seus sentimentos e emoções de uma forma natural, para ganhar a sua confiança e estimular a criatividade, a socialização, a solidariedade, o combate à discriminação, o respeito à diversidade e ao meio ambiente. Além disso, procura-se estabelecer uma relação com os movimentos sociais, como associações de moradores, movimento de mulheres.

- REJU - Brasilândia 

A Rede Ecumênica da Juventude (REJU) é composta por pessoas que abraçam a causa da juventude. Os objetivos da REJU estão estruturados em quatro eixos: - Juventude e equidade de gênero, priorizando a erradicação da violência contra a mulher; - superação das intolerâncias; - enfrentamento à violência contra a juventude negra; - interface juventude e justiça socioambiental.

Desde 2008, a REJU, juntamente com um grupo de pessoas voluntárias, realiza o ‘Cursinho Popular’, que tem como objetivo melhorar o nível educacional na região norte de São Paulo/SP, no Jardim Elisa Maria, bairro do distrito da Brasilândia. A missão é fazer com que a informação, o conhecimento e as oportunidades cheguem à comunidade que sofre com a violência e o extermínio de jovens.

Além de fornecer o complemento educacional, busca-se estimular nos participantes criatividade, lógica, raciocínio e entendimento sociocultural por meio da exposição de filmes, do estímulo à leitura e da introdução à ciência.

A REJU tem um programa às segundas-feiras à tarde na Rádio Cantareira, espaço que usa para falar sobre assuntos atuais e de interesse para jovens e comunidade local.

Grupo 3

- Centro Comunitário São Martinho de Lima

O Centro prioriza o atendimento à população adulta em situação de rua. Com mais de 22 anos de atuação, o Centro Comunitário tem como um dos seus principais focos a luta contra a drogadição, pois entendem que é a causa maior das pessoas estarem nas ruas.

Mantido pela entidade católica Nossa Senhora do Bom Parto (pautada na missão de Cristo), o Centro tem convênio com a Prefeitura e também está vinculado à Rede Ruas, referência para políticas de pessoas voltadas ao atendimento.

O objetivo do Centro é oferecer ao público-alvo atividades de natureza socioeducativa, participativas e colaborativas, com estratégias específicas, visando a fortalecer a autoestima e a noção de direitos e deveres, favorecer o protagonismo, desenvolver habilidades para a inserção no mundo do trabalho, a geração de renda e a ampliação da autonomia como forma de prevenir situações de risco; estimular potencialidades, propiciar aquisições e fortalecer vínculos familiares e comunitários, face às incidências de vulnerabilidade social, objetivando instrumentalizar essas famílias para que se tornem os principais agentes do seu próprio desenvolvimento.

- Casa do Migrante 

Os serviços de acolhida às pessoas migrante dos Scalabrinianos começaram em 1978, durante a década de maior deslocamento das pessoas do campo para as cidades. A Casa surgiu como contrapartida à política migratória adotada no Estado de São Paulo, no momento em que a sociedade local passou a ver os migrantes como um problema. Aos serviços de acolhida, somaram-se a uma série de atividades que já eram desenvolvidas no âmbito da Missão Paz, visando à inserção de migrantes, com destaque para a realização de cursos profissionalizantes.

As atividades, desenvolvidas por meio do Centro Pastoral e de Mediação dos Migrantes, estão assentadas em cinco eixos: trabalho, jurídico/regularização, saúde, comunidade/família e educação.

No retorno à Itapecerica da Serra, a oração da noite foi conduzida por pelo Bispo Daniel Jensen Seyenkulo, da Igreja Luterana na Libéria.