Pela Promoção dos Direitos das Juventudes

Rede Ecumênica da Juventude (REJU)

Notícias

REJU-SUL & Pasune: Cerca de 1,5 mil pessoas participam da Semana Internacional das Humanidades

28-04-2014

Reflexão, emoção e engajamento da comunidade acadêmica marcaram a 1ª Semana Internacional das Humanidades, realizada pelo Centro Universitário Univates, em Lajeado. A iniciativa transcorreu entre os dias 7 e 11 de abril e contou com cinco palestras de notáveis personalidades, entre elas o representante civil da Comissão da Verdade, Anivaldo Padilha, e a presidente da FUMEC ALC - Cuba, Sarahi Garcia Gomez. A qualidade do evento e a expectativa de público foram superadas pela organização. No total, cerca de 1,5 mil pessoas, entre alunos, professores e comunidade em geral, participaram da Semana Internacional das Humanidades. 


As propostas contribuíram para uma visão crítica da atualidade a partir de diferentes abordagens sobre Direitos Humanos. As conferências tiveram os seguintes temas: Memória, Justiça e Verdade; Direitos Humanos: Universalismo x Culturalismo; Cuba e Colômbia: Olhares sobre Direitos Humanos na América Latina e no Caribe; Defesa dos Territórios x Garantia de Direitos; e A maioridade penal.

A Univates contou com diversos parceiros na realização do evento, entre os quais a Pastoral Universitária Ecumênica (Pasune), Centro Ecumênico de Capacitação e Assessoria (Ceca), Conselho de Missão entre Indígenas (Comin), Fundação Universal dos Estudantes Cristãos – América Latina e Caribe (Fumec ALC) e Rede Ecumênica da Juventude – regional Sul (Reju-Sul).

A Semana Internacional das Humanidades foi mais um passo para a consolidação da Pasune e da Reju-Sul como parceiras da instituição. Alunas da Univates e também integrantes das organizações ecumênicas, Edoarda Sopelsa Scherer e Karen Daniela Pires colaboraram nos preparativos do evento, principalmente na indicação e recepção dos conferencistas. Facilitadora da Reju-Sul e coordenadora da Pasune, Edoarda destaca o pioneirismo do evento em âmbito regional. “Ele cumpriu com o papel de enaltecer algumas das principais pautas e tensões em relação aos Direitos Humanos no Brasil, na América Latina e Caribe. O olhar da academia em diálogo com pessoas militantes e estudiosos de distintos contextos possibilitou rever conceitos e criticar uma verdade que nos é colocada como uma realidade”, ressalta Edoarda. 
Humanidades ​Reflexão comunidade acadêmica